noticias rhi

Quanto tempo dura um processo seletivo

 

(por Simoni Aquino*)  Vejo muitos profissionais descontentes e reclamando sobre a demora de um processo seletivo. Por desconhecimento técnico da área, a maioria dos candidatos creditam essa demora ao RH o que nem sempre é verdade.

Já presenciei pessoas considerando que um mês é tempo suficiente para encerrar uma vaga, ao final do artigo, provarei que não.

Neste artigo abordarei quanto tempo leva um processo de seleção e as inúmeras variáveis que influenciam neste tempo.

Como já explicado detalhadamente em artigos anteriores, em recrutamento e seleção o selecionador e o candidato dependem de inúmeros fatores: cultura da empresa, nível hierárquico da vaga que se está trabalhando e especialmente da quantidade de vagas disponíveis.

EXEMPLOS PRÁTICOS

1. Processo de seleção para promotor de vendas, caixa de supermercado ou farmácia, atendente de lanchonete ou operador de telemarketing, ou seja cargos mais operacionais, pode levar por volta de 15 a 20 dias úteis, mas ressaltando que depende da empresa, do perfil da vaga, do nível hierárquico e da cultura organizacional.

Essas são vagas que chamamos de “volume” ou “varejo”, considerando para essa análise de 15 a 30 contratações de uma só vez, onde o RH trabalha com entrevistas individuais, aplicação de dinâmicas de grupo e entrevista com o gestor requisitante. Em uma turma de 25 candidatos, o RH obtém um aproveitamento em média de 30% (os demais são reprovados durante a seleção, seja na entrevista pessoal, seja na busca por referências profissionais anteriores, seja na entrevista com o gestor requisitante). Estamos falando de profissionais com nível secundário de escolaridade, apresentando fluência verbal razoável, ou seja, um processo de seleção que pode ser considerado relativamente fácil.

2. Processos de seleção para cargos administrativos, mais voltados para a operacionalização dos processos tais como: Auxiliar ou Assistente Administrativo, Secretárias o tempo é o mesmo do exemplo anterior, uma vez que esses processos podem ser considerados de complexidade média.

3. Processo de seleção para cargos de maior complexidade, ou seja, cargos hierárquicos mais elevados, demandam mais tempo, pois um perfil mais apurado e seniorizado exige uma busca mais detalhada e refinada. Nesses casos, os processos podem levar até mais de três meses, mas ressaltando que depende da empresa, do perfil da vaga, do nível hierárquico e da cultura organizacional.

ETAPAS DE SELEÇÃO

Como a empresa é soberana na decisão de quem irá entrevistar o candidato dentro da empresa, devemos estar cientes que existem empresas onde o candidato passará por várias etapas e por vários gestores: Coordenador, Gerente e Diretor da área em alguns casos, até mesmo pelo Country Manager. E nesses casos, o RH não tem poder de fazer milagres, uma vez que fica na dependência da agenda disponível desses profissionais, portanto entendemos que a tendência é que o processo seja prolongado.

Para que haja entendimento, existem inúmeras variáveis que influenciam diretamente na duração do processo seletivo:

– A estrutura que as empresas normalmente oferece ao RH é extremamente enxuta e o mesmo selecionador é responsável por vários processos seletivos simultaneamente;

– Disponibilidade de recursos que a empresa oferece ao RH para recrutar currículos;

– Disponibilidade dos meios de comunicação, pois ainda existem inúmeras empresas que não permitem ligações para telefones celulares ou interurbanos;

– Disponibilidade logística, ou seja, se a empresa oferece condições estruturais como salas para processos de seleção e entrevistas individuais ou cadeiras disponíveis em quantidades suficientes;

– Aplicação de testes e avaliações comportamentais, provas técnicas, provas de idiomas, redações que, portanto necessitam de tempo para correção individual;

– Obtenção de referências profissionais com antigos empregadores;

– Pesquisa de conduta comportamental em redes sociais e profissionais;

– Elaboração dos pareceres sobre os candidatos, essa etapa que exigem absoluta atenção aos detalhes, bem como análise assertiva e correta de cada um dos candidatos;

– Conciliar a agenda dos gestores avaliadores com a dos candidatos, especialmente dos que ainda estão empregados;

– Existem gestores que exigem que o RH participe da entrevista, mesmo o RH já tendo avaliado o candidato, pois é uma preferência já que se sente mais confortável. Isso demanda mais tempo e dessa forma, os demais processos seletivos que o selecionador é responsável ficam travados;

– Existem situações onde no decorrer do processo, o RH é comunicado de alguma alteração no perfil solicitado, no nível da vaga e, portanto na remuneração oferecida, como por exemplo: Analista Sênior para Analista Pleno;

– Existem situações aonde o processo chega a ser cancelado, uma vez que o RH é comunicado que o gestor e a área requisitantes, resolveram aproveitar alguém internamente;

– Existência de reuniões de alinhamento da própria área e de follow-up com os clientes internos e com fornecedores de serviços, que normalmente não podem ser adiadas;

– Envolvimento da Área de Pessoal (DP), pois o RH precisa respeitar os prazos de abertura e fechamento da folha de pagamento, uma vez que existem datas específicas para admissão, em função do recolhimento de impostos e tributações;

– Isso quando o mesmo profissional de Seleção é o responsável pela folha de pagamento e pelos benefícios e no período de fechamento de folha e das solicitações dos benefícios, precisam suspender as seleções para dar conta das responsabilidades que envolvem prazos legais.

ENTENDIMENTO

Cada empresa possui uma cultura diferente e que influenciam diretamente na forma de trabalhar e o RH“dança conforme a música”, especialmente dentro dos recursos estruturais e financeiros disponíveis e deve atuar absolutamente de acordo com as diretrizes da empresa onde atuam.

Como sempre cito, existem bons e maus profissionais em qualquer área e no RH, obviamente não é diferente, compreendo que existem situações onde a incompetência do profissional de RH influencia no tempo e na demora dos processos, mas diante de todo o cenário exposto, podemos perceber que esse caso é a exceção.

Portanto, diante de tudo o que foi exposto no artigo, acredito que seja mais fácil o entendimento da duração de um processo de seleção e se considerarmos que um mês tem apenas 20 a 22 dias úteis, podemos compreender que um mês é ainda pouco tempo para um bom processo de seleção, que seja assertivo tanto para a empresa quanto para o candidato.

EMPATIA

Como sempre prego a empatia dos profissionais de RH em relação aos candidatos disponíveis no mercado de trabalho, dessa vez, devo considerar que esses mesmos profissionais disponíveis no mercado enquanto candidatos, também devem usar de empatia e fazer o movimento contrário, ou seja, procurar se colocar no lugar do selecionador.

Podem ter certeza e digo isso por conhecimento de causa, o selecionador quando abre um processo de seleção fica “louco” para encontrar logo um candidato com perfil adequado, para encerrar logo processo e se dedicar às suas próximas responsabilidades que o aguardam.


* Simoni Aquino, Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas, palestrante, facilitadora de grupos e blogueira do Blog Além do RH onde escrevo sobre mercado de trabalho, recrutamento e seleção, recolocação profissional e RH.
www.simoniaquino.com.br
www.alemdorh.blogspot.com
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Contato

  • (48) 3241-5229
  • (48) 99186-0339
  • contato@rhiconsultoria.com.br

Localização

  • Av. Marechal Castelo Branco, 65
  • Sala 301 Bloco B – Campinas – São José/SC
  • CEP: 88101-020